Sistemas de Pintura
E-Coat – KTL

As linhas de pintura por eletrodeposição catódica (KTL) da Erzinger são construídas sob os mais rígidos requisitos de qualidade e atende 100% às normas regulamentadoras (NR) Brasileiras.

Linhas de pintura por batelada (KTL) são sistemas dotados de um conjunto de tanques para imersão do pacote de peças e um sistema de movimentação para transferência dos cestos (skids) ao longo do processo. Todos os tanques possuem agitação e, caso necessário, controle de temperatura, a fim de, garantir a eficiência do processo de eletrodeposição. Possuem alto nível de automatização podendo estar integradas a sistemas de informação gerenciais (SIG) para acompanhamento de desempenho produtivo da linha.

Linhas de pintura KTL contínuas possuem como diferencial a automatização simplificada e alta produtividade. São construídas de forma a adaptar-se aos diferentes espaços disponíveis, através do desenvolvimento de leiautes customizados à necessidade do cliente.

A Erzinger possui todo o portfólio de produtos adjacentes necessários para o bom funcionamento deste tipo de solução, como, túneis de pré-tratamento por aspersão, estufas contínuas dos mais diversos modelos construtivos, transportadores aéreos de média e alta capacidade de carga, dentre outros equipamentos necessários.

Sistema de Pré Tratamento e Pintura E-Coat - Render

1Pré-tratamento

Tem a finalidade de atuar nas superfícies metálicas pela deposição química. O principal objetivo é garantir a resistência final do produto contra corrosão, desgaste excessivo das peças ou equipamentos, quando submetidos a esforços mecânicos, e propiciar uma ancoragem para o revestimento (pintura).

2Anodos

A peça a ser pintada constitui o cátodo de um circuito de corrente contínua e nela é ligado o pólo negativo do retificador, o pólo positivo (ânodo) é uma chapa ou tubo em aço inox que é alojado dentro da célula de diálise. As células de diálise são utilizadas para remover o ácido que é continuamente liberado durante o processo de pintura. Controlando e mantendo o nível de ácido do banho de tinta, a célula garante pH e condutividade constantes.

3Spray de borda

Sua função é remover o excesso de tinta superficial do E-Coat, fazendo com que as peças arrastem o mínimo possível de partículas de tinta para o próximo estágio.

4Tanque de anolito

Constituído de tanque em PP com motobomba para bombeamento do anolito para as células de diálise que estão posicionadas na lateral do tanque de KTL-E01 (KTL-X01 a KTL-X32), com objetivo de remover a acidez da tinta. Este tanque possui 20 rotâmetros para indicação da vazão, um para cada anodo. Na saída da motobomba, existe um condutivimetro para indicação da condutividade do tanque, que é controlado pelo CLP.

5Squid de Filtração e refrigeração

Sua função é manter a temperatura da tinta de acordo com o escopo do projeto. A tinta E-coat deve ter sua temperatura controlada nos tanques principais e tanque reserva. Para isso, um chiller/termo chiller é responsável por gerar água em temperatura controlada, passando pelo trocador de placas, trocando a temperatura com a tinta. Um sistema de filtragem por filtros bag e barras magnéticas filtram a tinta antes da entrada do trocador de placas.

6Chiller / Termo Chiller

Responsável pelo resfriamento ou aquecimento da tinta através de trocador de placas a fim de manter sua temperatura estável (temperatura definida pelo fornecedor da tinta). Este equipamento é parte integrada da linha de pintura.

7Tanque de pintura E-coat

Tanque principal que realiza a pintura das peças pelo processo de eletrodeposição. Este processo consiste em imergir o objeto a ser pintado num banho de tinta diluída em água D.I., onde se faz passar uma corrente elétrica contínua e, através de uma diferença de potencial, deposita-se um revestimento orgânico. Este revestimento forma uma película uniforme e coesa na superfície da peça.

8Tanques ultrafiltrados

Os tanques ultrafiltrados tiram o excesso de tinta E-Coat depositada nas peças após o processo de pintura. O banho utilizado tem o nome de permeato (ultra filtrado). O enxágue das peças com o permeato permite a recuperação da tinta que não aderiu à peça, mas que foi arrastada mecanicamente pela mesma.

Como o sistema funciona

A pintura por eletrodeposição, também conhecida como E-coat/KTL, Cataforese, Eletroforese, etc, é um processo de pintura que trabalha sob o princípio da atração de polos opostos.

Ocorre quando um objeto condutivo – metálico -, imerso em um banho de tinta, é submetido à uma corrente elétrica, sendo este objeto interligado à um dos pólos e as partículas de tinta ou eletrodos ao outro pólo. O resultado disto é sempre um recobrimento contínuo e uniforme que confere uma excelente resistência química à corrosão.

Processo de aplicação

A seguir, um exemplo de como pode ser a composição de banhos em uma linha E-Coat.

Pré-Tratamento

1Desengraxe
2Enxágue 1
3Decapante
4Enxágue 2
5Neutralizador
6Refinador
7Fosfato
8Passivador
9Enxágue 3

Pré-Tratamento

1E-Coat
2Ultra filtrado 1
3Ultra filtrado 2

Secagem

Tanque-estufa

Start typing and press Enter to search